15 de ago de 2009

Cuidado com seu fusca!!!

Carros antigos são visados para furto

O alerta vem da própria Polícia. É mais perigoso ser proprietário de um carro velho do que um zerado. As picapes de luxo, que antes eram alvo dos ladrões, foram deixadas de lado. As quadrilhas estão mirando automóveis e picapes antigas - fabricadas a partir de 1990 - que são depenados e abandonados. A constatação é de policiais da Delegacia de Repressão a Roubos e Furtos de Veículos (DERRFVA) a partir das últimas estatísticas.
Automóveis como Gol modelo antigo, assim como Parati, Voyage, Opala, Monza e até Fusca fazem parte da nova lista dos ladrões. Picapes como D 20 e F 1000 são furtadas e abandonadas as carcaças.
Segundo o levantamento realizado pelos policiais, de cada 10 veículos levados pelos ladrões, em média sete são modelos antigos. O número de roubos (quando praticado com violência) também caiu de forma significativa e, como conseqüência, ampliou-se no número de furtos. De janeiro a junho deste ano, foram registrados 231 roubos de automóveis e 281 furtos. No total, os bandidos levaram 512 veículos – excluindo-se as motocicletas – na Grande Cuiabá. A maior parte já foi recuperada. “Carros antigos geralmente são furtados. O ladrão aproveita o descuido de dono para levá-lo, pois o proprietário não imagina que o ladrão quer roubar um carro antigo”, alertou o delegado Clocy Huguinei Oliveira, titular da DERRFVA.
Para o delegado, com as novas técnicas de segurança, como rastreador via satélite, chaves codificadas entre outros, o roubo está mais difícil. A partir daí, os ladrões partiram para o furto e de outro tipo de veículo – os mais antigos, cujo destino é a “depenação” (retirada de todos os acessórios), principalmente os pneus deixando apenas o chassi e o motor. Os acessórios são vendidos para lojas de peças usadas, pois alguns itens não são mais fabricados e a procura é grande. “Essa migração para o crime é natural. Além disso, os bandidos aproveitam que o dono de um carro usado não toma o mesmo cuidado que um proprietário de um zerado. A partir daí, os ladrões aproveitam”.
Outro veículo visado pelos bandidos é o Uno Mille, também furtado para ser depenado. Por se tratar do modelo mais barato, o consumidor compra o básico e começa a procurar por acessórios. “É justamente onde entra o ladrão que furta o carro, retira todos os acessórios e vende para esse comprador de carro básico”, explicou o chefe de operações, policial civil Rogério Stwart Garcia.
O delegado lembrou que, apesar dessa inversão da ação dos bandidos, o roubo de picapes de luxo não acabou. Os ladrões estão agindo no interior do Estado, onde os donos não tomam os mesmos cuidados como se vivessem na Capital. Na semana passada, um médico de Campo Verde foi rendido por dois ladrões que roubaram sua Hilux zerada e o deixaram no cativeiro. Os bandidos só não conseguiram chegar até Cáceres e entregá-la a traficantes bolivianos porque ele conseguiu ligar para a empresa de rastreamento que desligou a picape.

0 comentários: