13 de abr de 2009

Colecionadores de Fusca fazem encontro em BH

Carros de todas as idades e cores participaram de cortejo pelas ruas do bairro e depois ficaram em exibição na Praça do Papa, aos pés da Serra do Curral.


O ar puro no sopé da Serra do Curral e a bela vista de Belo Horizonte deram o toque especial ao evento promovido ontem por um grupo de mineiros que têm uma paixão em comum: a admiração e o carinho pelo bom e velho Fusca. Dezenas de pessoas aproveitaram a manhã ensolarada do domingo para comemorar, na Praça do Papa, cartão-postal da capital, os 50 anos do primeiro fauvê – um dos vários apelidos do carro na Alemanha, onde surgiu a montadora Volkswagen – fabricado no Brasil. Em carreata, seguiram pelas ruas e avenidas do Bairro Mangabeiras, na Região Centro-Sul da cidade, exibindo modelos antigos e de diversas cores. O cuidado com os veículos – muitos donos parecem tratá-los como entes da família – é enxergado de longe, pois as latarias em bom estado e os motores, originais e sempre limpos, não deixam dúvidas.
Poucas vezes, os usuários da Praça do Papa dividiram a atenção do verde da Serra do Curral e da vista da capital com veículos que invadiram o tradicional cartão-postal. “Escolhemos a praça porque ela tem várias vagas para carros e é um ponto turístico da cidade. A data dos 50 anos foi em 20 de janeiro, mas, devido ao período de chuvas, fizemos o encontro neste domingo”, conta o organizador do evento e presidente do Portal do Fusca, Bruno Beleza Beltrão, de 31 anos, morador do Bairro Buritis, na Região Oeste. Como ele, muita gente saiu de outras partes de Belo Horizonte e até de municípios vizinhos para prestigiar o encontro, que, tradicionalmente, ocorre no primeiro domingo de cada mês. Seu José de Arimatéia Fernandes, de 53, veio de Nova Lima com seu carro amarelo ano 1974. Criativo, ele aproveitou a cor para equipar o veículo com taxímetro. Recorda que, antigamente, os táxis de BH eram amarelos. Aliás, a reunião de fãs do modelo VW, que ontem completou a nona edição, é um prato cheio para que os integrantes – o grupo reúne cerca de 200 pessoas, segundo estima o presidente – coloquem em dia as curiosidades sobre o Fusca, que começou a ser produzido na Alemanha na década de 1930. O carro do empresário Horácio Luiz Cota de Abreu, morador do Bairro Santa Efigênia, na Região Leste da capital, foi importado do país europeu, em 1954, cinco anos antes de o primeiro modelo ser produzido no Brasil. A idade do veículo e o excelente estado de conservação despertaram a atenção de muita gente. “É 100% original”, informou o proprietário, mostrando, com orgulho, a placa na cor preta, o que indica que o fauvê é registrado no Departamento Estadual de Trânsito (Detran) como um bem de colecionador. Até a caixa de ferramenta do veículo, para se ter uma ideia, é original e jamais foi usada. O vidro traseiro, oval, também indica que o modelo foi produzido, na distante década, do outro lado do Oceano Atlântico. Como bons motoristas apaixonados pelo famoso carro, a maior parte dos que foram à praça sabem de cor e salteado a história do veículo.

1 comentários:

valmir disse...

onde posso encontrar pessoas que gostem de fusca e comprem pra coleção. meu e-mail é: valcap30@yahoo.com.br. tenho um fusca 81 e gostaria de vender pra alguem apaixonado por fusca. abraço,
valmir gonçalves.