27 de mar de 2009

Restauração de antigos

Automóvel antigo é uma caixa de Pandora

Serviço de restauração pode revelar inúmeras surpresas



SÃO PAULO - Proprietário da Mecânica 205 (3858-6683), no bairro do Limão, zona norte, e especializado em peças e componentes de carros fora de linha, Hamilton Carraro faz pouco de modelos novos. "Não tem graça de mexer", diz ele. E aponta para um Fusca 1972 que está restaurando: "É disso aqui que eu gosto." No estado em que está, esta carcaça de Horch 1937 sai por R$ 150 mil na RS Automóveis
Mecânico autodidata, Carraro aprendeu na prática e atualmente é um dos cada vez mais raros especialistas na restauração e manutenção de carros antigos. Há casos em que ele mesmo fabrica peças para os modelos. "Os piores são os ingleses, pois faltam componentes", afirma.

Carraro diz que o serviço é demorado e não fica barato. Ele recomenda o VW Fusca para quem quer começar. "É o mais fácil e barato para mexer." O especialista diz que pode encontrar o veículo, caso o cliente deseje, ou avaliá-lo antes da compra. Pelo serviço, cobra de R$ 500 a R$ 1 mil. Já deixar o carro novo em folha pode custar entre R$ 2,5 mil e R$ 3 mil por mês (o trabalho leva em média um ano e meio para ser concluído). Nello Bini Junior, da Premium Garage (2225-2233), no Tatuapé, zona leste, é especialista em carros americanos e europeus. "Os Rolls-Royce são os mais complexos." Ele afirma que o serviço não é barato - pode ficar "de R$ 80 mil para cima." Na contramão da escassez de gente especializada, Marcos Antonio Pereira do Lago, da New Car (5512-7928), no Campo Limpo, zona sul, começou a restaurar antigos há pouco tempo. "Já fizemos dois carros. Queremos diferenciar nossos serviços." Seu próximo projeto é trabalhar em um veículo da RS Automóveis (2914-7357), no Ipiranga, zona sul, especializada em antigos e uma das principais fornecedoras de peças (o catálogo tem mais de 30 mil itens e demorou quatro anos para ficar pronto). Administradora da empresa, Emília Siciliano diz que tem até pneu de época, tudo coletado durante anos por seu pai, Romeu Siciliano, morto em 2008. Situada na Lapa, zona oeste, a R&E Restaurações (3676-1425), só lida com carros raros. "Restauramos um Protos de 1908", afirma Richard F., um dos donos. Ele não faz orçamento do serviço. "Temos carta branca dos proprietários. Carro velho é uma caixa de Pandora, você abre e não sabe o que vai encontrar."

0 comentários: