21 de jan de 2009

Produção do Fusca faz 50 anos no Brasil

Em 1959, primeiro modelo nacional deixou a fábrica de Anchieta. Carro se despediu em 1996, com 3,1 milhões de unidades vendidas.

Nesta terça-feira (20) é comemorado o “Dia Nacional do Fusca”, uma data instituída pela Volkswagen nos anos 80 em homenagem aos fãs do automóvel. Projetado na Alemanha, o carro foi produzido pela primeira vez no Brasil há 50 anos e seguiu como líder de vendas por 24 anos consecutivos.


A cidade de Formiga, no centro-oeste mineiro, é exemplo da paixão que o brasileiro tem pelo Fusca. Dos 20 mil carros da cidade, dois mil são do modelo. É com ele que a equipe de um jornal local sai em busca da notícia. “A manutenção é barata, a peça é barata, qualquer pessoa dá conta de consertar”, diz o jornalista Manoel Gandra. Você tem um Fusca?



Primeiros Fuscas nacionais deixam a fábrica da Anchieta
A filha dele, Laura, de 10 anos, já faz parte da turma do Fusca. “Quando meu pai comprou um eu me senti mais entusiasmada ainda, aí eu queria ter muitos, mas como não podia, fui ganhando em miniatura”, explica. Os apaixonados pelo carro não economizam. O representante comercial Erner Corrêa pagou R$ 7.500 em um Fusca e já gastou mais de R$ 4 mil só para deixá-lo mais original. “Eu aprendi a dirigir no Fusca, ia para a escola no Fusca, namorava dentro no Fusca, quando vim para Formiga trouxe o Fusca, então a gente pegou aquele amor”, diz.

Liderança e despedida O Fusca, que desde 1951 era importado da Alemanha, passou, em 1959, a ser produzido na fábrica da Anchieta, em São Paulo. Nas décadas seguintes, o carro assumiu a liderança entre os veículos de passeio e continuou a ser fabricado até 1986, quando foi aposentado pela primeira vez.
Fusca 1984

Sete anos depois, o então presidente da República, Itamar Franco, solicitou à Volkswagen que ele voltasse a ser produzido. A retomada do modelo durou até junho de 1996, quando ele se despediu com a marca de 3,1 milhões de unidades vendidas. Nas lojas, ainda é possível encontrar peças novas fabricadas especialmente para ele. “Tem tudo. Guarnição, maçaneta, fechadura, desde o Fusca 67 até o 96”, diz o comerciante Erlon Fernandes. O Fusca inspirou a criação de outros modelos, como a Brasília, apresentada em 1973, e o TL, sucessor do Fusca quatro portas, popularmente conhecido como “Zé do Caixão”, por causa da disposição das maçanetas.


Linha de montagem da fábrica da Anchieta em 1970.

0 comentários: