3 de jan de 2009

Fusca: Paixão brasileira nascia há 50 anos

Há exatos 50 anos começava no Brasil a produção em série do Volkswagen Fusca. O veículo, que liderou a preferência dos brasileiros por muitos anos, ainda hoje aquece o mercado de automotores no país, despertando a curiosidade de colecionadores ou mesmo de pessoas comuns, interessadas em possuírem um carro barato, simpático e que oferece baixos custos de manutenção.


O Fusca é o carro mais usado em Cunha: média de um para cada 11,5 moradores


Na cidade de Cunha, por exemplo, o uso do Fusca é bastante trivial. Isso porque o veículo se adapta perfeitamente às ladeiras de terra e aos paralelepípedos que marcam a estrutura rural e urbana do município, localizado entre as serras da Bocaina e do Mar e que abriga inúmeras estradas de terra.

Com pouco mais de 23 mil moradores, segundo dados da revista Quatro Rodas, estima-se que a cidade possua cerca de dois mil veículos do gênero, o que daria uma média de um Fusca para cada 11,5 moradores do município, que tem como principais atividades econômicas a produção rural e o turismo.

Para os donos de sítios e pessoas que moram na área rural, o preço baixo, a manutenção simples e a tração traseira são características que, certamente, fazem com que o Fusca seja o veículo oficial da maior parte dos cunhenses.

Diante de tanta procura, o preço de um Fusca chega a ser em média 30% mais alto na cidade. É a lei da oferta e da procura, que eleva os valores onde a procura é maior. O carro, que é vendido na faixa de R$ 1700, chega a ser negociado na cidade por até R$ 2500 – valor 47% superior ao encontrado por aí.

Como exigem as próprias condições de relevo de Cunha, os Fuscas de lá não têm nada a ver com os exemplares cultuados por colecionadores. São veículos normais, para uso do dia a dia, geralmente calejados pela poeira e pelos buracos das estradas.

Carro de colecionadores
Além de "pau pra toda obra", o Fusca é tido por muitos como carro de colecionador. Principalmente levando-se em consideração as unidades produzidas na década de 1960. O modelo de 1966, que tinha motor de 1200 cc, recebeu mudanças na caixa de marcha e no distribuidor e até hoje é considerado um clássico no Brasil.


O Fusca Itamar, lançado em 1996, teve apenas 42 mil exemplares produzidos

Outro modelo bastante apreciado é o de 1996, quando o Fusca voltou a ser produzido no Brasil, após um pedido do então presidente Itamar Franco. Com um visual moderno, se comprado aos modelos das décadas de 1960 e l970, o Fusca Itamar tinha um acabamento luxuoso e na época dividiu opiniões.


O Fusca modelo 1986 é considerado o último que teve produção em série, por isso é chamado de Fusca Última Série

A exemplo do modelo 1986, o Fusca Itamar também é conhecido como Última Série e teve cerca de 42 mil unidades produzidas. Devido à baixa produção hoje é comercializado no mercado com preço alto para um veículo de mais de uma década: não sai por menos de R$ 16 mil.

Preços salgados
Numa busca rápida pelo portal Mercado Livre, que comercializa desde eletrodomésticos a imóveis, passando por produtos eletrônicos e até veículos de colecionadores, podem ser encontrados Fuscas dos mais variados. E os preços são bem salgadinhos.

Um modelo 1964, totalmente original e em perfeito estado de conservação, é oferecido por R$ 16,3 mil. Já o modelo 1986, também sem modificações, é comercializado no portal pela "bagatela" de R$ 24 mil. Só pra lembrar: o modelo produzido naquele ano foi o último antes da retomada da produção, na época do Itamar.


Interior original do VW Fusca ano 1964


No Mercado Livre, modelo custa R$ 24 mil

Já o clássico Fusca 1966 é a oferta mais cara do portal: custa R$ 80 mil e, segundo o proprietário, foi transformado em um veículo com quatro portas, sem que as características originais fossem perdidas. A cor também é clássica. O vermelho-cereja enche os olhos de quem vê o carro e, lógico, de todos os apaixonados por esse clássico que notadamente continua sendo a paixão de grande parte dos brasileiros.


Fusca 1966 adaptado para quatro portas: veículo é vendido a R$ 80 mil pela Internet

Não fosse isso, o veículo não figuraria entre os cinco modelos mais comercializados no país, segundo o portal WebMotors.

0 comentários: