22 de set de 2008

Preciosidade

'Meu Fusquinha ano 1968 é uma preciosidade'
Patrícia Vanzin

Fusca de 1968 (Foto: Patrícia Vanzin/VC no G1)

Meu marido (Cleber) e eu (Patrícia) queríamos comprar um Fusca antigo. Procuramos, pesquisamos, rodamos até encontrar o nosso "fusquinha" ano 1968. Uma preciosidade que atrai olhares e propostas daqueles que gostam e admiram carros antigos.
A nossa busca por um Fusca antigo começou à cerca de dois anos. Encontramos vários. Alguns bons. No entanto, todos precisavam de uma reforma completa e essa era uma dificuldade. Além dos gastos financeiros, seria difícil encontrar todas as peças originais. Sem falar que carros antigos (principalmente em bom estado), inclusive Fuscas, são muito valorizados comercialmente.
Desta forma, a busca por um "bom fusquinha" foi longa. Procuramos bastante. Foram várias buscas em sites especializados, ligações e até viagens. Meu marido, Cleber chegou à ir até Dois Vizinhos, no Paraná, para ver um Fusca que estavam anunciando na internet, mas não deu negócio.
Em janeiro deste ano, lemos um anúncio na internet da venda de um Fusca 1968 em Jaraguá do Sul, norte catarinense. Resolvemos apostar e sair de Xaxim, oeste catarinense (onde moramos), para conferir o tal Fusca.
Foi uma aventura. Primeiro, porque só tínhamos fotos do carro e a promessa do casal que estava vendendo, de que o veículo estava em bom estado. Então, estávamos animados, mas no fundo com medo. Temíamos percorrer os mais de 500 km até Jaraguá do Sul e encontrar um carro ruim. Além disso, tinha outro porém: com que iríamos para lá? Com o Vectra que tínhamos, mas daí tinha a questão: 'Se comprássemos o Fusca, eu teria que vir com um carro e o Cleber com outro. E se fossemos de ônibus? 'Mas aí teríamos que depender de horários específicos, talvez esperar em rodoviárias e tal...'
Mesmo assim, aventuramos. Resolvemos ir de ônibus num sábado à noite (detalhe: o ônibus saía às 21h e nós decidimos ir às 20h15. Quando chegamos em Jaraguá do Sul, às 6h da manhã, o antigo dono do Fusca, Adriano, foi nos buscar na rodoviária, com o fusquinha.
De cara já gostamos. Pena que já não é totalmente original, mas devido à idade (um quarentão), podemos dizer que nosso "fusquinha" está impecável. Enfim, compramos e voltamos para Xaxim, cerca de 520 km, rodando com o Fusca. Detalhe, ele teve o surpreendente consumo de 13,8 km por litro.
Hoje, passados oito meses, ainda estamos com o carro (apesar de inúmeras propostas para venda, todas recusadas).

0 comentários: